Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

Saude publica parte 1.....

 

Mesmo em obras resolvi abrir  portas às utopias.............Não vai ser como tinha imaginado com um post  dedicado a uma fada especial, na companhia da qual subi ao céu e sozinho desci ao inferno, vou falar de ti sim............afinal foste a grande utopia da minha vida, mas não hoje.

 

Podia falar da A. vou falar da A. sim, porque é a única mulher que sabe como me tirar do sério num ápice, mas uma coisa tenho de reconhecer : Embora o teu talento para a matemática só seja superado pela aptidão que tens para me irritar, tens um coração do tamanho do mundo és capaz de atitudes fantásticas quando alguém necessita do teu apoio. Tens sido um porto de abrigo, nestes dias de tempestade............mesmo com muitas tempestades entre nos... " velhos hábitos, não é miúda? "

Vais ter sempre um espaço neste blog, afinal o nosso passatempo favorito é falar mal um do outro, como calculas agora que aderi a blogosfera vou aproveitar para praticar a tão nobre e tradicional arte de cortar na casaca. Mas os post da má-língua ficam para outro dia.

 

Podia falar da D. uma amiga muito especial que estava convencida que era uma sapinha, mas que finalmente arranjou um espelho em condições e viu o que toda a gente via......... Que é uma princesa, resultado agora toda a realeza anda atrás da menina " realeza deve se ler príncipes " logo a menina agora anda numa fase de passarinhos verdes, cor de rosas, amarelos....................... É assim que gosto de te ver.

Só por mera curiosidade...........já sabes a diferença entre rosas e tulipas?

PS: ERAM ROSAS BRANCAS.

 

Podia falar de ti, sim de ti velhota.................. A melhor mãe do mundo, Não, não estou a dar graxa e fica sabendo que se fosse possível escolher outra pessoa para o teu lugar, tu eras a escolhida. Mesmo com a Angelina Jolie e a Sharon Stone incluídas na lista das possíveis candidatas.  Foste tu a grande razão deste blog existir, quando no início do ano ficaste internada ambos sabíamos que a situação era critica.

Foram um sufoco aquelas horas de espera por noticias dos  médicos sobre o teu quadro clínico, tive medo, receio de partires sem ter hipótese de dizer todo o que sentia  o quanto és especial para mim, foi nesse dia que decidi criar este espaço para aqui dizer tudo o que as vezes me falta coragem de falar olhos nos olhos. Não, por não o sentir.......................mas porque não me sinto preparado para iniciar a despedida, por ficar sempre tanto por dizer, porque não quero que as palavras se percam no tempo porque sempre tive muito orgulho em ti, quero que toda a gente saiba disto, porque és única, insubstituível como todas as mães.....

Por isso enquanto tiver o privilegio da tua companhia ao meu lado, vou desfrutar tanto quanto possível e dizer-te pessoalmente tudo o que for capaz........... O resto vou escrevendo por aqui. Se um dia leres este blog espero que gostes, sobre ti não vou escrever  utopias, apenas contos, historias, recordações, aventuras e desventuras, momentos únicos e reais sobre a melhor mãe do mundo.

 

Podia falar das crises existenciais dum trintão, que aos vinte queria ter trinta e agora na casa dos trinta a ver-se a poucos anos de distância dos quarenta, queria voltar a ter vinte.

Podia falar de tudo e de nada, mas vou falar dum tema que estava longe de ser o escolhido para post inicial.

 

HOSPITAIS PÚBLICOS e o actual sistema de saúde um Portugal..........  

 

Que a saúde aqui no burgo vai mal.... Toda a gente sabe, que há falta de verbas para a saúde, que muitos dos hospitais estão completamente desprovidos de infra-estruturas adequadas, equipamentos hospitalares, médicos, enfermeiros, e respectivo pessoal auxiliar, também não é novidade, que a falta de condições físicas e humanas para desempenharem a profissão para a qual estudaram tantos anos pode desmotivar até os mais dedicados e competentes médicos, aliado ao facto de infelizmente muitos dos que prestam serviço nesta área não terem vocação para o papel que DEVIAM desempenhar ou que simplesmente estão no publico porque dá jeito também não é um segredo de estado...................... Mas que o valor de uma vida humana, em Portugal se mede em euros e que o respeito pelos doentes e familiares é praticamente nulo para mim foi uma surpresa.

Em pouco menos de um mês a acompanhar diariamente uma doente em fase terminal, já vi e senti coisa que pensava só serem possíveis em países do terceiro mundo. Não estou a escrever este post revoltado por a doente ser a minha mãe e os médicos não poderem fazer mais nada, ou por estar na moda falar mal do serviço de saúde, muito menos por estar numa fase de negação, estou a escrever simplesmente porque há situações que são inaceitáveis, porque um hospital e respectivo corpo clínico são muitas vezes a ultima barreira entre a vida e a morte.  E se a morte for inevitável, como mais tarde ou mais cedo vai acabar por ser para todos,  ao menos que seja de forma digna tanto quanto possível, é pedir muito?

Para começar era bom que os médicos, tivessem o bom senso de entender que muitas vezes  os doentes assim como a família  não estão preparados para lidar com a morte, que muitas vezes antes do internamento já ouve grande desgaste físico e psicológico, muitas noites mal dormidas, rotinas familiares alteradas, idas constantes ás urgências, dores físicas, psicológicas, sofrimento, lágrimas.........etc.

É de bom tom, " nem vou perguntar se é humano" comunicarem a um filho que esteve oito horas à espera de qualquer tipo de informação, em frente a portas das urgências, que o quadro clínico da mãe é extremamente critico que pode ser uma situação de horas ou de dias dentro das próprias urgências, no meio de um amontoado de macas com outros doentes a gritar com dores e a chamar por alguém do corpo clínico, é que nem uma cadeira havia disponível para me sentar............... F......... não sou uma pessoa que me vá abaixo ou demonstre facilmente as minhas emoções frente a estranhos, mas quantos são assim? Quantos familiares enfrentaram uma situação idêntica  e caíram redondos, ou tiveram ataques de choro ali mesmo? Seria pedir muito um pequeno espaço para este tipo de situações, seria pedir muito um pouco de respeito pela dor que a pessoa sente na altura e ter um pouco de privacidade para extravasar toda a panóplia de sentimentos que nos assaltam na altura?  

É normal a espera de oito horas ter sido numa sala minúscula, sobrelotada, com uma temperatura elevadíssima porque o comando do ar condicionado não tinha pilhas, " o hospital não tinha pilhas de reserva............?????????????   "o funcionário da manutenção chegou ao ridículo de perguntar se alguém  tinha pilhas " os comandos manuais estavam protegidos por uma caixa fechada com um cadeado do qual ninguém sabia da chave nem tinha autoridade para rebentar........................????????? É normal os acompanhantes dos doentes não poderem sair desta sala enquanto esperam noticias do familiar, porque só chamam as pessoas uma única vez? é normal esta sala apenas ter uma maquina de café e aguas e uma pessoa ser forçada a uma espera de varias horas sem ter "direito" sequer a comer? É normal alguém ao fim de seis horas de espera, sentir fraqueza e ir ao bar comer algo e ter o azar de ser nessa altura de ser chamado pelo intercomunicador e perante a impossibilidade física de estar em dois lados ao mesmo tempo, não se dirigir de imediato aos médicos e continuar mais uma hora a espera?  E finalmente quando alguém vem a procura dele é um funcionário do hospital, que inicia a conversa da seguinte forma: a sua filha vai ficar internada, já o chamamos à uma hora onde é que se tinha metido? Isto não é para largar os doentes e ir passear ? Perante a indignação do visado que se recusou a ter este tipo de dialogo que considerou ofensivo e dentro dos direitos que lhe assistiam pediu para falar com alguém responsável e muito bem a meu ver, a reacção do funcionário do hospital foi um hino a estupidez chamou a policia sobre o pretexto do referido senhor estar a causar distúrbios????????????????? Isto são utopias? Não é a realidade nua e crua de um hospital central de Lisboa.

 

 

Sinto-me: Critico e cansado
Estou com está musica na cabeça: Apenas silencio
Publicado por c911 c911eutopias às 15:29
link do post | Comenta com ou sem utopias | favorito
|
2 comentários:
De divaegugas a 31 de Janeiro de 2008 às 17:43
tem calma...não sabes como são os hospitais publicos patinho????Para que saibas a minha avo morreu com um temor no cerebro, era tecnica de r-x no hospital e quando entrou para ser avaliada mandaram na para casa com aspirinas porque era stress....
De divaegugas a 31 de Janeiro de 2008 às 17:44
qt a amiga especial obrigada...adoro que me tratem por princesa e mais ainda que me tratem como uma rainha....adoro mimos...ate faço ronron

Diz a tua realidade ou utopia

Eu, Utopias...

Cuscar neste blog

 

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dentro da validade

Podem repetir se faz favo...

Troca tintas

Carro de Loura

Suspeito muito suspeito

Nada como um bom Hobby

Erro salarial

QUALQUER SEMELHANÇA, NÃO ...

AC / DC

A fome é negra

Portugal no seu melhor

Escritos com teias de aranha

tags

todas as tags

Utopia gostou

prometo

Tantas formas de morrer.....

pantera....

bom dia!!!

duche nos teus braços

A estrela

Fábula do Leão e do Cisne

O Amor de Outra Mulher...

Como Encontrar o AMOR

Saudades

A quantas ando?

Quantos estão a cuscar agora?

online

histates

Quantos são? Quantos são?

Advogados RJ
Advogados RJ
blogs SAPO

subscrever feeds